CONHEÇA A MARCA.

TEM MEBER BEM PERTO DE VOCÊ.
SAIBA ONDE ENCONTRAR.

Arte do patchwork como aliada na decoração e confecção de acessórios

Uma arte de origem milenar que pode ser aplicada, ainda hoje, na decoração doméstica. Além de ser uma excelente opção para quem é adepto do artesanato, a técnica do patchwork traz benefícios também ao bem-estar mental – decorando ambientes e estimulando a criatividade dos artesãos. Desde o século IX a.C., os faraós já usavam roupas com técnicas similares aos do patchwork – o que reitera a importância da arte para a história da humanidade.

O patchwork sempre foi uma forma de expressar um movimento artístico oriundo da união de retalhos passado de geração em geração. Por meio dessa técnica, é possível confeccionar colchas, bolsas, capas de almofadas e cadernos, tapetes, cortinas, carteiras e muito mais.

Confira algumas dicas essenciais para decorar sua casa e seus materiais:

 

 

Entendendo o patchwork

Os itens produzidos com essa técnica são compostos por três camadas que são sobrepostas: tampo – a parte de cima, feita com os retalhos; enchimento – fica no meio e dá volume ao patchwork; e forro – tecido normalmente inteiriço que fica na parte de baixo da peça, para dar um melhor acabamento. A compreensão dessas camadas é fundamental para partirmos rumo ao passo a passo.

 

Materiais necessários e como proceder

Com base nessas três camadas, são necessários alguns materiais para a confecção das peças: retalhos; tecido para o forro; manta acrílica para enchimento; régua ou fita métrica; lápis; tesoura ou cortador circular; alfinetes; agulha; e linha ou máquina de costura. Com eles em mãos, vamos ao trabalho.

Separe os retalhos que vai utilizar e corte-os nos formatos e tamanhos que preferir. Logo após, una dois retalhos por vez – à mão ou com máquina. Costure-os entre si até ficar do tamanho que planejou. Então, corte o enchimento e o forro com três ou quatro centímetros a mais que o tamanho do tampo. Assim, para finalizar, emende todas as camadas – para fazer a emenda, é possível executar uma costura simples ou algo mais trabalhado, com linhas coloridas ou arabescos.

 

Tecidos indicados

Para fazer qualquer peça com essa técnica, é essencial saber quais tecidos usar – e todos eles se concentram naqueles 100% algodão, pois não desfiam muito, são mais firmes que os sintéticos e têm uma enorme variedade de estampas. Uma dica interessante é lavar os tecidos antes de começar o trabalho, pois, dessa forma, você vai descobrir se eles encolhem ou soltam tinta. O percal, para peças grandes, e o algodão cru ou tricoline, em tamanhos menores, são indicados para forros. Já nas confecções de bolsas, você pode usar lona, lonita, veludo, brim, jeans sem elastano, sarja ou algodão cru.

Agora, basta colocar em prática e se juntar aos adeptos que enxergam na arte o potencial que extrapola os limites de uma simples confecção manual.

Gostou dessas dicas? Então conheça mais sobre a nossa categoria DIY clicando aqui.