CONHEÇA A MARCA.

TEM MEBER BEM PERTO DE VOCÊ.
SAIBA ONDE ENCONTRAR.

Harmonização entre vinho e refeição propicia prazer duplo

Saborear uma refeição bem preparada é um prazer igualmente comparado à degustação de um bom vinho. E o efeito de ambos podem ser potencializados ainda mais se forem atos associados.


A harmonização entre vinho e comida pode trazer à tona o que os dois têm de melhor para sensorialmente serem sentidos. Embora num primeiro momento a palavra harmonização soe algo destinado apenas a especialistas no assunto, seus conceitos podem ser aplicados por qualquer um.


Para isso, bastam algumas dicas, como as que vamos compartilhar por aqui. Como sugere a palavra, harmonização é propor harmonia, combinação – mas atente que nada será mais importante do que consumir algo que apeteça ao seu paladar.


Nesse sentido, pratos leves devem ser harmonizados com vinhos proporcionais, enquanto pratos mais intensos exigem vinhos mais encorpados. Essa é uma regra básica, mas como saber qual vinho combina com determinada comida?


Para quem não é muito chegado ao universo dos vinhos, é preciso ter em mente que, de maneira geral, os vinhos brancos são os mais leves do mercado. Depois há os rosés, que são mais leves que os tintos. Assim, entradas, canapés e saladas e pratos como aves, peixes e frutos do mar caem bem com vinhos brancos ou rosés. Já as carnes vermelhas, assim como massas, precisam ser harmonizadas com algo mais encorpado, que acompanhem seus sabores, caso do vinho tinto.


Os vinhos, entretanto, podem ter diferentes características, mesmo sendo produzidos pela mesma uva. Isso por conta de diferentes fatores, como as técnicas vinícolas empregadas e as próprias questões de solo e clima que diferem de uma região para outra. Por isso, um Chardonnay com passagem em barrica, por exemplo, será diferente de um Chardonnay sem esse processo, assim como um Cabernet Sauvignon, que pode ser produzido tanto para ser consumido jovem ou com mais tempo de maturação. O ideal é se aprofundar no tema, mas procure seguir a regra básica para suas primeiras harmonizações – abaixo, listamos algumas combinações que vão te ajudar na hora de pôr à mesa.


Mas nem tudo é tão simples, e algumas comidas realmente serão um desafio de serem harmonizadas. Entretanto, se o seu paladar permitir, você pode fazer experimentos para tentar combinar comidas com ovo, alcachofra ou alcaparra, que são difíceis de serem combinadas por conta de seus sabores marcantes. Evite também pratos com excesso de pimenta, que “adormecem” as papilas, ou de alho. Fuja também das saladas com vinagre – não há vinho capaz de anular sua alta acidez. Se tiver frituras, não hesite: vá de espumante Brut. Ele ajuda a limpar as pupilas gustativas. Por isso, cai bem também com pratos gordurosos, além de combinar com a cozinha oriental. Na hora da sobremesa, vale a regra proporcional. Doces leves, vinhos leves; doces com mais potência, vinhos mais encorpados.

 

Algumas boas combinações


Cabernet Sauvignon: vinho bem encorpado e com taninos presentes, vai bem com pratos marcantes, como carnes gordurosas e massas com molho vermelho. Queijos maduros e carnes assadas também fazem boa dobradinha com o vinho.
Merlot: de aroma frutado e taninos mais macios, se relaciona bem com cogumelos, carnes vermelhas utilizadas no preparo de bifes, embutidos
Malbec: também combina com carnes vermelhas, como cordeiro ou de costela, e churrasco. Tem paladar amadeirado
Pinot Noir: tinto de sabor leve, é bom para carnes suaves, como frango e outras aves, cremes e sopas. Até com frutos do mar cai bem
Chardonnay: clássico dos vinhos brancos, tem opções mais leves (sem madeira) e mais maturadas (maturação no carvalho), por isso é preciso ler o rótulo para não errar na hora da escolha. Os primeiros são mais indicados para frutos do mar mais suaves, como mexilhões e ostras, e peixes como tilápia, robalo e linguado. Os segundos casam melhor com pratos aromáticos, em que são usados ingredientes como alecrim ou açafrão. Massas com molho branco e receitas com manteiga ou creme de leite, além de queijo derretido, também são indicadas
Sauvignon Blanc: vinho leve com notas de frutas cítricas, esse branco é refrescante e faz parceria com queijos leves, como o brie, e com pratos com mascarpone e também com frutos do mar, massas com vegetais, peixes e aves
Rosés: vinho refrescante, é produzido geralmente com uvas como Pinot Noir, Tempranillo, Merlot, entre outras. Como é leve, utilize com pratos de entrada e tábuas de frios. Também vai bem com pizzas de muçarela e peixes leves.